Ida de Bolsonaro ao PL deve selar rompimento do PL com ACM Neto na Bahia, diz jornal; Roma pode ser beneficiado

A filiação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao PL deve culminar com a saída do PL da base de apoio à candidatura de ACM Neto ao Governo da Bahia. É o que aponta matéria publicada na manhã desta quinta-feira (25/11) pelo jornal O Globo.

Ainda segundo a reportagem, o partido ainda se comprometeu a apoiar a candidatura do ministro da Cidadania, João Roma (Republicanos), que não trata oficialmente do tema, mas já manifestou o interesse de governar a Bahia. 

Neste contexto, Roma pode até migrar para o PL. Isto porque o Republicanos ainda não está decidido se irá lançar candidatura única. Formalmente, a sigla também está apalavrada para apoiar Neto, o que inviabilizaria os planos do ministro de candidaturas ao Governo ou ao Senado. 

Ao entrar na Esplanada dos Ministérios de Bolsonaro, Roma rompeu com Neto, com quem tinha uma longa jornada como aliado. Ele já foi chefe de Gabinete do ex-prefeito de Salvador.

A matéria do O Globo ainda aponta que o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, quebraria acordo realizado com o governador de São Paulo, Joao Doria (PSDB). De acordo com a publicação, o partido do centrão havia prometido apoiar a campanha de Rodrigo Garcia (PSDB), vice de Doria, a governador paulista. 

“Ainda não está definido se o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, será o candidato de Bolsonaro. Mas Valdemar disse explicitamente que estará com o projeto de Bolsonaro em São Paulo”, diz a matéria do O Globo.

Procurado para repercutir sobre o tema, o presidente do PL na Bahia, José Carlos Araújo, não atendeu o Aratu On até a publicação desta matéria. Neto, por sua vez, afirma não ter conhecimento de decisão do PL. “Tenho dificuldade para comentar alguma coisa porque, realmente, estou por fora dessas conversas. Só quem pode falar disso é o próprio PL”, afirmou à reportagem. 

Fonte: Aratu On

Recôncavo Web TV, inscreva-se!

Facebook
WhatsApp

ACOMPANHE-NOS NO FACEBOOK

Últimas