Geada causa prejuízos a produtores de café, ameaça safras e eleva preço em todo Brasil

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp

SÃO PAULO (Reuters) – As temperaturas despencaram em grande parte do Brasil nesta quinta-feira, com registros de raríssimas nevascas em alguns locais durante a noite, à medida que uma massa de ar polar avança em direção ao centro-sul da potência agrícola, ameaçando culturas como café, cana-de-açúcar e laranja com geadas.

O tempo atipicamente frio no Brasil já fez com que os preços internacionais de café e açúcar subissem, e a previsão é de que a sexta-feira seja o dia mais frio do ano, segundo o agrometeorologista Marco Antonio dos Santos, sócio-diretor da Rural Clima.

Os preços do café arábica chegaram a tocar uma máxima de quase sete anos nesta semana, também diante do impacto do frio no Brasil, maior produtor de café do mundo. Há expectativas de que empresas repassem os custos mais elevados aos consumidores.

Estimativas preliminares da estatal Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) indicaram que apenas as geadas da semana passada afetaram de 150 mil a 200 mil hectares, cerca de 11% da área total de café do país.

A segunda safra de milho do Brasil, que representa de 70% a 75% da produção anual, sofreu com a seca e com as geadas inoportunas em momento em que os agricultores começam a colhê-la.

O preço do café arábica disparou no mercado internacional. A saca de 60 kg, que era vendida a R$ 606, atingiu R$ 960 ontem em São Paulo – alta de quase 60%.

Produtores de café arábica dos estados de Minas Gerais, São Paulo e Paraná, que abrigam algumas das principais regiões produtoras do Brasil, contabilizam os prejuízos causados por duas geadas consecutivas que atingiram as lavouras. De origem africana, o cafeeiro é sensível ao frio e, dependendo da intensidade, a geada pode até matar a planta. O governo federal tem usado imagens de satélite para dimensionar o tamanho do estrago, mas já admite o impacto na safra de 2022.

A situação levou operadores de grãos a abandonar contratos de exportação por meio de cláusulas de “washout”, reduzindo drasticamente as perspectivas de exportação do Brasil neste ano e aumentando a necessidade de importações do cereal.

Lavouras de café foram atingidas por duas geadas consecutivas.
Produtores de arábica de Minas Gerais, São Paulo e Paraná contabilizam prejuízos

Fonte: Istoé

Recôncavo Web TV, inscreva-se!

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp

Últimas

Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com