Enfermeira vira alvo de investigação após chamar vacina contra a Covid-19 de “água”; “Tomei porque quero viajar”

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

A enfermeira Nathanna Faria Ceschim está sendo investigada pelo hospital onde trabalha, Santa Casa de Misericórdia de Vitória (ES), após debochar da eficácia da Coronavac, vacina contra o novo coronavírus produzida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac.  Ela também foi denunciada ao conselho regional de enfermagem.

Nas redes sociais, Ceschin publicou na sexta-feira (22/1) um vídeo chamando o imunizante de água e declarando que só se submeteu à vacinação para poder viajar. “Tomei por conta que quero viajar, e não para me sentir mais segura. Uma vacina que dá 50% de segurança para mim não é uma vacina. Tomei foi água”, disse Nathanna, que foi imunizada na última terça-feira (19/1).

Em nota, o Hospital da Santa Casa de Misericórdia de Vitória afirmou que não compactua com este tipo de pensamento e que em toda a sua história sempre defendeu e esteve ao lado da ciência. “Acreditamos na vacina e esperamos que, em breve, não só os funcionários, mas toda a sociedade possa ser imunizada”, assegurou a unidade de saúde.

“O hospital abriu uma investigação para apurar a conduta da funcionária e irá tomar as medidas que forem necessárias para garantir a segurança de seus pacientes e a manutenção das normas e condutas fundamentais para o bom atendimento assistencial”, afirma o hospital.

Vale lembrar que a Coronavac tem  50,38% de eficácia geral, para todos os casos. Além disso, ela tem 77,96% de eficácia contra manifestação de sintomas e 100% contra casos graves da doença, ainda que nesses casos o Butantan não considere os números ainda significativos para fins estatísticos.

Fonte: Aratu On

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com