Dores no joelho abreviam carreira ex-jogador do Flamengo

Ederson fez 39 jogos e quatro gols pelo Flamengo — Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

Aos 33 anos, Ederson pretendia jogar até os 38. Mas as dores no joelho abreviaram a carreira do agora ex-meia. Cerca de um ano e meio depois do fim do último contrato com um time, o Flamengo, ele abriu as portas, ou melhor, a porteira da estância dele, no interior paulista, e confirmou que não vai mais entrar em campo.

– Decidi parar mesmo, parar de jogar, porque eu sempre pensei em jogar estando 100%, e jogar mais ou menos não é comigo. Estava sentindo muitas dores no joelho. Eu pude perceber que eu não ia conseguir render o meu máximo, então acho que quando é assim chegou a hora de parar.

A revelação foi feita em Osvaldo Cruz, cidade vizinha ao município natal do ex-atleta, Parapuã, em entrevista à TV Fronteira, afiliada Globo na região de Presidente Prudente. Foi a primeira vez que ele falou com um veículo de comunicação depois do fim do contrato com o Rubro-Negro.

Em setembro, ele havia publicado um vídeo em uma rede social, em que cogitava o fim da carreira. Após mais de 10 anos na Europa (e o convívio com lesões), o drama de ficar no departamento médico recomeçou pouco tempo depois do seu retorno ao Brasil, em 2015, quando assinou com o Flamengo. Em julho de 2016, o meia sofreu uma entrada do lateral corintiano Fagner, a qual deixou ele fora de ação por nove meses.

– Foi muito complicado, algumas vezes os tratamentos não foram adequados, e acabei ficando fora dos gramados, sempre tentando voltar, sem ter êxito na recuperação. Foi um período muito complicado para mim.

A volta em 2017 foi seguida de outro capítulo complicado. Em julho, o meia foi diagnosticado com um tumor no testículo e precisou passar por nova cirurgia. A liberação para voltar a jogar ocorreu em fevereiro de 2018, cinco meses antes de seu contrato com o Flamengo terminar.

Fonte: Globo Esporte

Facebook
WhatsApp