Após se fantasiar de goleiro Bruno, tatuador vai responder na Justiça por apologia ao feminicídio

O tatuador que se fantasiou de goleiro Bruno, segurando um saco de lixo com o nome de Eliza, vai responder na Justiça por apologia ao feminicídio. O homem, que foi demitido após a repercussão, vai prestar depoimento no 21º Distrito Integrado de Polícia (DIP), em Manaus. 

O delegado do caso, Rodrigo Barreto, titular da 4ª Seccional Oeste, disse que as imagens das câmeras de segurança serão analisadas e o tatuador será ouvido e deve assinar um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

O clique foi feito em uma casa de show chamada “Porão do Alemão”. A empresa, depois de ver a polêmica negativa, apagou o post e afirmou que a foto foi compartilhada por um estagiário de 20 anos que não sabia da dimensão do caso – que ainda segue em evidência. 

Caso Bruno

Mesmo depois de anos após o crime, o goleiro Bruno Fernandes, que retornou ao futebol após anunciar aposentadoria, segue sem pagar a pensão do filho, Bruninho Samudio. O valor chega a R$ 3 milhões. Apesar da dívida exorbitante, o atleta não parece se abalar e, há alguns dias, comprou um carro avaliado em R$ 80 mil.

Fonte: BNews

Facebook
WhatsApp