Vitória vence Atlântico e mantém liderança do Baianão

Em teoria, apesar da maioria rubro-negra em Pituaçu ontem, o Vitória estava jogando contra o Atlântico como visitante. E isso significaria que o fantasma de jogar em casa não o afetaria, correto?

Correto. Apesar das baixas ao longo da semana – Wallace, Kieza e Tréllez, todos titulares, deixaram o clube –, o Leão soube se ajeitar e vencer bonito o Atlântico por 2×1 pela terceira rodada do Baiano.

E olha que, apesar de tê-los no grupo, Mancini optou por não lançar os reforços Rhayner e André Lima como titulares. Para o lugar de Kieza, preferiu adiantar o lateral-esquerdo Bryan para o meio; e na vaga de Tréllez, escalou o atacante Denílson.

De início, parecia que o sofrimento de jogar em casa se repetiria. Aos seis minutos, o zagueiro Bruno Bispo, um dos ‘novatos’ do time, que substituiu Wallace, saiu jogando de forma bizonha e deixou a bola de graça para Jone Chulapa. O atacante aproveitou que Miguel estava bastante adiantado e abriu o placar para o Atlântico.

Aos 15, o goleiro rubro-negro caiu no gramado pedindo atendimento. Tempo técnico para Mancini arrumar o time. O treinador reuniu os atletas na lateral do campo e soltou uma sonora bronca.

Funcionou. O Leão voltou mais incisivo na troca de passes, sobretudo pelo lado esquerdo. Numa jogada por lá, aos 19, Juninho enfiou a bola para Denílson na área, que girou e chutou no canto. Foi o primeiro gol do atacante em jogos oficiais pelo Vitória.

Aos 25, uma linda troca de passes do rubro-negro resultou na virada. Novamente pela esquerda. Neilton lançou Lucas na área, que ajeitou de calcanhar para a passagem de Yago. O meia avançou e chutou forte no ângulo. Golaço.

Compartilhe

Copyright © Recôncavo Notícias - Jornalismo com Profissionalismo