Saúde: Cinco dores comuns na gravidez e como amenizá-las

Durante a gravidez, a mulher pode sentir dores e desconforto em muitos momentos por causa do peso extra que está carregando e hormônios em níveis diferentes do normal. “Não é regra, mas faz parte da gestação, o problema é quando a dor é aguda, muito incômoda e só piora”, explica o ginecologista Ricardo Luba.

1. Dor de cabeça: de acordo com o site Bebê, grande parte das mulheres sofrem com enxaqueca crônica durante a gravidez. Ela pode aparecer garante qualquer período da gestação, os gatilhos mais famosos na fase inicial são o excesso ou falta de café ou outros alimentos. Quando a barriga começa a aparecer, as alterações na postura provocam sobrecarga na coluna, podendo causar dores de cabeça. Nos dois casos, um médico deve ser consultado para receitar um medicamento e definir a melhor abordagem. Não é indicado tomar o mesmo medicamento de sempre pois muitos analgésicos são contraindicados para gestantes.

2. Cólica: de acordo com o ginecologista Marcos Wengrover Rosa, é normal sentir cólica mesmo enquanto a mulher está grávida. “É a adaptação do útero ao desenvolvimento da placenta. Ele se contrai enquanto aumenta de tamanho e, por ser um músculo potente, essa contração é sentida como cólica”, explica ele. Para aliviar a dor, que pode aparecer em qualquer período da gestação, as compressas quentes ajudam e também podem ser receitados pelo médico remédios antiespasmódicos específicos para cada caso. Quando a cólica vem acompanhada de sangramento, Luba alerta que “pode significar uma ameaça de aborto, infecção urinária e outros problemas”. Nessas situações, é melhor consultar um médico.

3. Dor nas costas: no terceiro trimestre da gestação, quando a barriga aumenta consideravelmente o tamanho e consequentemente há um ganho de peso, as dores lombares começam a surgir. Para compensar o peso extra, a mãe inconscientemente “puxa” com as costas o peso para trás, alterando a curvatura da coluna. “Isso causa estresse muscular e a sensação de dor e as sedentárias podem sofrer mais com o despreparo dos músculos”, explica Wengrover. Para melhorar a dor, compressas de água quente funcionam bem, mas a melhor maneira de prevenir essas dores é com exercícios que ajudem a equilibrar a postura, como pilates, fisioterapia, e até mesmo caminhadas. Acupuntura e RPG também são terapias complementares e comprovadamente benéficas nesses casos. É importante destacar, entretanto, que no caso de a mulher já estar sentindo dor, pilates e yoga são contraindicados.

4. Pernas e braços: a sobrecarga afeta os membros inferiores de forma que a gestante comece a caminhar com as pernas um pouco mais abertas para acomodar melhor o peso. Outra situação que pode ocorrer é quando o nervo ciático inflama (principalmente no final da gravidez), atacando não só a coluna, como também as pernas. O inchaço temporário provocado pela retenção de líquidos provoca dores nas articulações. Para essas situações, é necessário fazer exercícios leves e elevar os pés sempre que possível.

5. Dor nos seios: “A grande maioria das mulheres sente dor local durante a gestação, mas a intensidade depende de fatores como o tamanho da mama”, comenta o ginecologista e obstetra Ricardo Andrade Freire. A dor ocorre por causa do crescimento da mama, que se prepara para produzir leite. Para amenizar as dores, existem sutiãs especiais para gestantes, sem bojo e com sustentação reforçada. Se a dor vier acompanhada de vermelhidão, calor na região e febre, pode ser um caso de inflamação no local e um médico deve ser consultado.

Fonte: Bahia Notícias

Compartilhe

Copyright © Recôncavo Notícias - O site que tem a cara da Bahia