Salvador: Jovem é morta por irmão após disputa por cartão da pensão da mãe

(Foto: Marina Hortélio/CORREIO)

A vendedora de balas Iane Vitória da Conceição Nascimento, 20 anos, foi morta dentro de casa, a golpes de tesoura, pelo próprio irmão Luiz Cláudio da Conceição Nascimento, 26. O crime ocorreu por volta das 12h de terça-feira (17), na Rua do Dique Pequeno, no Engenho Velho de Brotas. O suspeito foi preso.

De acordo com a família da vítima, Luiz Cláudio sempre foi agressivo com os parentes, em especial, a irmã, e teria premeditado o crime. “Ele deu dinheiro para a mãe comprar cigarro com a filha da minha sobrinha. Só estava ele e ela em casa na hora do crime”, contou a tia de Iane e mãe de criação da jovem, Alexandra Santana.

Por possuir problemas psicológicos, Ubiranice recebia uma pensão e, de acordo com os familiares, todo o dinheiro era usado por Luiz Cláudio, inclusive, para comprar drogas. Como a irmã tentava restringir o uso do cartão, a família acredita que o jovem se revoltou e decidiu matar Iane. 

A única testemunha foi uma prima da vítima, que mora no imóvel em cima de onde ocorreu o crime. Ela ouviu o barulho da confusão e desceu para ver o que estava acontecendo.

De acordo com os familiares, a adolescente teria tentado ajudar a prima, mas o suspeito a empurrou para fora da casa e trancou a porta. “Ele jogou ela pro lado de fora e foi terminar de cometer o ato. Quando a minha outra sobrinha conseguiu arrombar a porta, Iane estava cheia de sangue. Ela até tentou chamar o Samu, mas Iane caiu na frente da porta, já morta”, relatou Alexandra.

Denúncias
As agressões eram tão recorrentes que a família conta que Iane havia dado entrada em um pedido de medida protetiva contra o irmão. O CORREIO entrou em contato com o Ministério Público, mas ainda não obteve resposta.

De acordo com os familiares, os filhos de Ubiranice foram cuidados por toda família. Além dos dois, Ubiranice possui outro filho, chamado Bruno Vinicius da Conceição Nascimento, 30 anos. “Durante a gravidez, minha irmã foi internada. Quando a menina nasceu, minha irmã foi internada novamente. Como a menina tinha que mamar, e eu estava amamentando, eu a criei”, relembrou Alexandra.

Após passar pela casa de vários familiares, a jovem alugou uma casa, onde morava com a filha. Entretanto, ela passou a morar com a mãe e Luiz Cláudio, na Vila Almir, no Engenho Velho de Brotas, por ter que cuidar da progenitora. De acordo com a família, Iane foi morar longe dos parentes devido à forma como o irmão a tratava.

“Depois que ela ficou adulta, ela sempre ia para a casa da mãe para cuidar dela. Nessa desconfiança de que o irmão não cuidava da mãe, ela voltou para casa. Minha irmã tem dificuldade de tomar banho, de se alimentar”, disse Alexandra.

Ainda de acordo com a tia, Iane suspeitava que o irmão abusava sexualmente da mãe. “A motivação foi o dinheiro e porque ela desconfiava que ele abusava sexualmente da mãe. Um dia, ela acordou com a mãe gritando para. Quando ela foi ver, o irmão estava deitado na cama da mãe”, relatou.

Antes do crime, Luiz Cláudio disse para a família que ia viajar para São Paulo e devolveu o cartão da mãe para Iane. Na segunda-feira (16), ele ficou dentro da casa da tia, Milena Conceição, para tentar fingir que havia viajado. “Ele fingiu que já tinha ido para São Paulo para tentar não deixar vestígios do crime”, de acordo com Milena, o sobrinho queria que ela fosse cúmplice no crime.

“Eu vou matar Iane e se você avisar, eu vou te matar também. Mesmo com medo, eu contei para as pessoas”, relatou Milena.

Iane foi morta pelo irmão,Luiz Cláudio, a golpes de tesoura
(Foto: Reprodução)

Devido a ameaça, Iane dormiu na casa da tia, Paula, na noite de segunda para terça. A parente mora na casa de cima de onde a jovem residia e, naquela noite, ninguém conseguiu dormir porque Luiz Cláudio gritava que ia matar a irmã e se matar.

Equipes da 1ª Delegacia de Homicídios Atlântico (DH/Atlântico) autuaram em flagrante Luís Cláudio, acusado do feminicídio da irmã. Ele foi apresentado por policiais militares no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no final da tarde de ontem.

De acordo com as investigações da Polícia Civil, o crime aconteceu após uma desavença entre os irmãos, motivado pela disputa da propriedade do cartão de saque do benefício da mãe deles. A responsável pelo cartão era Iane.

 A arma do crime foi apreendida e encaminhada para a perícia. Luís Cláudio está à disposição da Justiça e passará por audiência de custódia. Iane vendia bala de gengibre no Dique do Tororó para ajudar a sustentar a mãe, Ubiranice da Conceição Nascimento, e a filha de dois anos. 

A família acredita que o suspeito tenta agora forjar que tem problemas psicológicos para conseguir se safar do crime, mas a lega que ele já havia ameaçado e batido na irmã antes do crime. “Ele não é louco, ele está fingindo ser maluco. Ele inventou isso para falar que fez por loucura. Ele pediu para ir para o Juliano Moreira porque teria entrada no hospital”, contou a Alexandra.

Segundo Alexandra, o jovem foi no Dique do Tororó na noite de segunda (16) para forjar um suicídio. Na ocasião, ele teria jogado documentos e uma bicicleta na lagoa para tentar não ser incriminado pelo assassinato de Iane.

Em nota, a Polícia Militar (PM) informou que policiais da 26ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Brotas) foram acionados pelo Centro de Comunicação Integrada (Cicom) órgão da Secretaria de Segurança Pública (SSP) após informações de que uma mulher foi atingida com golpes de arma branca, tipo tesoura. Ainda segundo a PM, os policiais realizaram o isolamento da área e logo após acionou os agentes do Departamento de Polícia Técnica para remoção. 

Fonte: Correio 24h*Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro

Compartilhe

Copyright © Recôncavo Notícias - Jornalismo com Profissionalismo
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com