Prefeito propõe reajuste de IPTU e gera revolta em Santo Antônio de Jesus

Assim como ocorreu em Salvador, um projeto de lei que propõe reajuste do IPTU em Santo Antônio de Jesus tem gerado polêmica na cidade. De acordo com a matéria, o objetivo é “atualizar a legislação tributária instituindo nova planta genérica de valores […], tendo sua última atualização ocorrida há mais de 10 anos”.

Em carta aberta, a Câmara de Dirigentes Lojistas, a Associação Comercial e Empresarial e o Sindicato Patronal de Santo Antônio de Jesus disseram que “o aumento de impostos, na atual conjuntura socioeconômica, agrava severamente a crise que se estabeleceu no País”.

Quem também se manifestou por meio de carta aberta foi o deputado estadual Alan Sanches (DEM). Segundo o democrata, “esse aumento de imposto inevitavelmente será repassado ao consumidor final, e não só. Os pontos comerciais que já se encontram com uma baixa taxa de ocupação ficarão mais caros, dificultando ainda mais os aluguéis e venda de imóveis e o desenvolvimento do município”.

Em entrevista ao BNews, o prefeito Rogério Andrade (PSD) rebateu o deputado ao dizer que lamenta “um deputado fazer uma carta aberta e o filho [Duda Sanches] apoiar o aumento do IPTU feito por ACM Neto em Salvador”.
Sobre o projeto, o pessedista disse que, “de 10 anos para cá, [a cidade] cresceu muito e 50% dos imóveis não estão sequer cadastrados”. “E precisamos fazer justiça social. Preciso priorizar a parte mais sofrida da cidade. Quem não tem como pagar, precisamos fazer justiça cobrando mais de quem pode pagar mais. Tem gente com casa em condomínio que vale R$ 4 milhões pagando o mesmo de quem está fora do condomínio”, prosseguiu.

“Contratamos uma empresa para fazer o levantamento da planta e corretores da cidade fizeram um parecer. Chegamos a um valor de mercado e determinei um desconto de 50% do que era justo. Se o justo era R$ 100, mandei cobrar R$ 50. Não estou atualizando, estou aproximando um pouco mais do que é justo”, acrescentou.

Obras

De acordo com Rogério Andrade, a prefeitura fez intervenção em 36 ruas desde o início do mandato. “São quatro sistemas de abastecimento na zona rural. 26 licitações de obras em andamento e 53 escolas que estão em reforma. Vou interferir em 30 com recursos próprios. Licitamos R$ 3,7 milhões para o bairro do Mutum , começamos a obra do canal”, detalhou.

“Além disso, fizemos um convênio com a Santa Casa, em 2018 vamos transferir R$ 1 milhão. Colocamos 40 pessoas a mais na varrição da cidade. Saiu de 70 para 110. Isso custa R$ 100 mil a mais por mês. Colocamos 100 linhas novas do transporte escolar. Matriculamos 4 mil alunos novos. Isso dá R$ 2,4 milhões a mais por ano.  O repasse federal não paga nem um mês”, completou o pessedista.

Fonte: Bocão News

Compartilhe

Copyright © Recôncavo Notícias - O site que tem a cara da Bahia