Peru vence o Chile com folga e encara o Brasil na final

(Juan Mabromata/AFP)

A final da Copa América será em clima de revanche. Não para o Brasil e, sim, para o rival da decisão de domingo (7), às 17h, no Maracanã. Após levar 5×0 da Seleção pela fase de classificação, o Peru tirou o Uruguai nos pênaltis nas quartas de final e nesta quarta-feira (3), em Porto Alegre, venceu o Chile por 3×0. No sábado, às 16h, na Arena Crinthians,  em São Paulo, os chilenos encaram a Argentina pelo 3º lugar. 

Para quem considerava o Chile favorito – por ter peças em equipes de ponta da Europa, como Vidal (Barcelona) e Sánchez (Manchester United), além de ser bicampeão da Copa América -, o primeiro tempo foi de língua queimada. Desde o início, o Peru se impôs em campo, mais organizado e com mais ímpeto.

Logo com 1 minuto, Guerrero deixou Cueva de cara com Arias, mas o meia do Santos desperdiçou grande oportunidade. La Roja devolveu com um belo chute de Aránguiz, que passou perto do gol de Gallese. Ainda assim, o Peru mandava no jogo. Aos 20, Cueva cruzou, Carrillo desviou e Flores bateu bonito para faz 1×0. 

O Chile não mudou o comportamento em campo, nem o time peruano. Continuou brigando mais, tocando melhor e ameaçando o gol chileno sempre. 

Mas o segundo gol acabou vindo com contribuição do Chile. Após lançamento para Carrillo, aos 37, o goleiro Arias saiu atrasado e todo vendido. Tentou combater o atacante peruano na lateral e acabou vendo ele cruzar. Sem goleiro, Yotún bateu e ampliou o marcador.

Aí, sim, o Chile acordou e passou a dominar a partida. Pressionou bastante nos minutos finais e Fuenzalida exigiu uma grande defesa de Gallese.

Pressão
A tendência para o 2º tempo era de um Chile pressionando e o Peru jogando no contra-ataque. Não deu outra. Com 5 minutos, Sánchez já havia acertado a trave peruana e nove minutos depois, os peruanos perderam chance gigante no contra-golpe: Carrillo abriu pra Guerrero, que acionou Cueva. O meia do Santos só escorou para Yotún que, sem goleiro, desta vez isolou.

Nem por isso, o Chile diminuiu seu ritmo. Aos 19, Aránguiz deu um chutaço da entrada da área. Gallese só torceu e a bola passou raspando a trave. Três minutos depois, Beausejour foi cruzar, pegou errado e a bola foi na direção do gol. Gallese mandou para escanteio.

Aos 29, a melhor chance. Na sobra de escanteio peruano, a defesa vacilou e Vargas saiu na cara de Gallese, que fez grande defesa. Na sequência, Isla deu um torpedo de fora da área e a bola passou perto da trave direita do Peru.

Gallese seguiu sendo personagem do jogo. Após cruzamento da direita, Vidal cabeceou e o goleiro segurou firme. Logo depois, Sánchez experimentou de fora da área e lá estava o arqueiro peruano para se esticar e defender em dois tempos.

No final, quem marcou foi o Peru. Guerrero recebeu, limpou Arias fez 3×0. Ainda deu tempo do Chile perder um pênalti. Vargas tentou cavar e Gallese defendeu fácil. 

Fonte: Correio 24h

Compartilhe

Copyright © Recôncavo Notícias - Jornalismo com Profissionalismo
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com