Médico acusado de abuso sexual admite que filmou vítimas no Ceará

Foto: reprodução

Preso há três dias acusado de abusar sexualmente de pacientes durante consultas ginecológicas em Uruburetama (CE), o médico e prefeito afastado da cidade, José Hilson de Paiva, confessou à polícia que fez as filmagens durante 30 anos, mas disse que “parou há dois anos”. “Ele diz que isso virou um vício”, afirmou Joseanna Oliveira, delegada que investiga o caso.

A prisão preventiva de José Hilson foi determinada na sexta (19) pelo juiz José Cléber Moura do Nascimento, após pedido do Ministério Público do Ceará (MPCE). Em uma rápida declaração a jornalistas, o médico tentou se defender das acusações. “É um momento de… não sei nem explicar. Parte delas, a maior parte, era consentida. Se não fosse, eu não ia chegar aqui e mentir para a imprensa”, disse.

A defesa do médico entrou com um pedido de prisão domiciliar na Justiça, já que, segundo o advogado Leandro Vasques, José Hilson tem 70 anos e sofre de doenças cardíacas e na próstata. Além disso, ele alega que o prazo para que as vítimas apresentassem a queixa contra o médico já se esgotou.

A Justiça do Ceará, porém, negou o pedido da defesa e manteve a prisão preventiva do médico, pelos crimes de estupro de vulnerável e violação sexual mediante fraude. No sábado, ele passou por uma audiência de custódia na Comarca de Itarema, município no interior do Ceará.

Após as denúncias, José Hilson foi expulso do PCdoB e impedido de exercer a profissão pelo Conselho Regional de Medicina, durante seis meses. Na última terça (16), a Associação Cearense de Ginecologia também informou que o médico não tem a especialidade ginecológica, apesar de ter atuado por 30 anos na área.

Fonte: Metro1

Compartilhe

Copyright © Recôncavo Notícias - Jornalismo com Profissionalismo
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com