Mãe de Bin Laden diz que ele sofreu ‘lavagem cerebral’ na universidade

O terrorista Osama Bin Laden era uma criança boa, mas sofreu lavagem cerebral quando entrou na universidade. A afirmação é da mãe dele, Alia Ghanem, de 70 anos, em sua primeira entrevista à imprensa, publicada no jornal britânico “The Guardian” nesta sexta-feira (3).

O líder da Al-Qaeda foi o responsável pelo ataque contra as Torres Gêmeas, em Nova York, em 11 de setembro de 2001, que deixou cerca de 3 mil mortos. O terrorista foi morto em maio de 2011, em uma operação do serviço de inteligência americano no Paquistão.

Ghanem, que mora na Arábia Saudita, conta que seu primogênito era tímido, mas que se tornou uma figura forte enquanto estudava economia na Universidade King Abdulaziz, na cidade saudita de Jeddah, onde se radicalizou. “As pessoas na universidade mudaram ele. Ele se tornou um homem diferente”, disse.

Osama Bin Laden (Foto: AFP/Arquivo)

Foi na universidade que ele encontrou Abdullah Azzam, um membro do grupo radical Irmandade Muçulmana, que se tornou o seu conselheiro espiritual.

“Ele foi uma criança muito boa até conhecer algumas pessoas que praticamente fizeram uma lavagem cerebral quando ele tinha seus 20 e poucos anos. Você pode chamar isso de culto”, afirmou Alia Ghanem.

“Eles conseguiram dinheiro para a causa deles. Eu sempre dizia a ele para ficar longe deles, e ele nunca iria admitir para mim o que ele estava fazendo, porque me amava muito”, disse.

A mãe concedeu a entrevista ao lado de dois irmãos de Bin Laden – Ahmad e Hassan, e do seu segundo marido, Mohammed al-Attas, que o criou desde os 3 anos. Ela lembra que o filho era “muito sério e realmente gostava de estudar”.

Fonte: G1

Compartilhe

Copyright © Recôncavo Notícias - Jornalismo com Profissionalismo