Funcionário de IML que fez sexo com cadáver de ex-Big Brother é preso

A morte de Oksana Aplekaeva sempre foi um mistério para as autoridades russas. Ela foi assassinada em 2008 por estrangulamento e seu corpo foi encontrado em uma rodovia da cidade de Moscou. A jovem ficou conhecida por participar do reality show Dom-2, uma versão do Big Brother. Dez anos depois, a polícia descobriu novas pistas e pediu a exumação do corpo. Exame de DNA revelou que o corpo de Oksana havia sido violentado por um homem quando estava no IML. Após mais investigações, a polícia descobriu que tratava-se de um funcionário do local, identificado apenas como Alexander, de 37 anos.

O acusado foi preso. “Não posso argumentar contra a ciência”, disse Alexander à imprensa local, segundo o jornal The Sun. Apesar de ter feito sexo com o corpo da ex-Big Brother, o homem não tem a ver com o assassinato de Oksana. A legislação russa também não prevê pena para quem comete esse tipo de ato. As investigações continuam.

Fonte: Informe Baiano

Compartilhe

Copyright © Recôncavo Notícias - Jornalismo com Profissionalismo