Em abrigos desde bebê, adolescente é adotada em Goiás a duas semanas de completar 18 anos

A adolescente Mariana Rocha, de 17 anos, foi adotada duas semanas antes de completar a maioridade e ter que sair do orfanato onde morava, em Cidade Ocidental, no Entorno do Distrito Federal. A jovem passou 15 anos em abrigos e conta que já não pensava muito em ter uma família quando conheceu a cabeleireira Lucélia Rocha e o pintor Laurentino Rocha.

O processo foi formalizado no último dia 3 de julho. Maiara, irmã biológica dela e dois anos mais velha, teve um destino diferente e, ao chegar à maioridade, teve que tentar se virar sem apoio do orfanato.

A irmã de Mariana, mesmo sem querer, foi quem abriu as portas para que a adolescente fosse adotada. Lucélia conhece o ex-diretor do orfanato onde as duas estavam e, através dele, soube que a mais velha, hoje com 20 anos, estava morado nas ruas de Cidade Ocidental. A cabeleireira a procurou e acolheu e depois foi em busca da mais nova da dupla, Mariana.

Mariana e a irmã biológica Maiara (Foto: Aline Caetano/TJ-GO)

“O ex-diretor do orfanato falou que todas as crianças da época que eu fiz um trabalho lá tinham sido adotadas, menos ela e a irmã. Preocupado, ele me perguntou se eu podia ajudar e que ela precisava de uma casa. Eu falei: uma casa eu tenho”, recordou.

Sobre o primeiro encontro, Mariana lembra que estava voltando da escola e, muito tímida, colocou um pirulito na boca e não disse nada o tempo todo. “Primeiro momento foi top. Minha mãe chegou com uma das minhas irmãs [adotivas] e uma amiga, mas eu sou tímida, não queria conversar”, recordou.

Apesar da resistência, Mariana garante que ficou feliz com o encontro. Aos poucos, ela e a família foram se aproximando. O casal conseguiu uma autorização judicial para que a adolescente passasse o Natal na casa deles e até uma parte das férias. Depois desse período, ela pediu para não voltar mais ao orfanato.

Fonte: G1

 

Compartilhe

Copyright © Recôncavo Notícias - Jornalismo com Profissionalismo