Dono da Riachuelo se filia ao PRB para disputar Presidência

O empresário Flávio Rocha, dono da rede de lojas Riachuelo, acertou na manhã desta terça-feira (27) sua entrada no PRB para disputar a Presidência da República. Rocha, 60, confirmou sua filiação ao partido e obteve de dirigentes da
sigla a garantia de que poderá se candidatar ao Palácio do Planalto na eleição de outubro. O dono da Riachuelo definiu sua entrada no PRB em uma conversa com deputados federais e com o presidente da legenda, Marcos Pereira
-ex-ministro da Indústria e bispo licenciado da Igreja Universal.

Nas negociações com o partido, o empresário recusou ofertas para concorrer a vice na chapa de outro candidato a presidente – como Jair Bolsonaro (PSL), Rodrigo Maia (DEM) ou Michel Temer (MDB). O acordo do empresário com o PRB envolve sua disposição em financiar a própria campanha a presidente ou vice. A sigla afirmou que não dispõe de
recursos do fundo eleitoral para bancar uma dessas candidaturas. A família de Rocha tem um patrimônio avaliado em R$ 1,3 bilhão.

Na última sexta (23), o empresário anunciou que deixará a diretoria da Guararapes Confecções, controladora da rede Riachuelo, para se candidatar nas eleições deste ano. Ele permanecerá no grupo até o fim de seu mandato,
em 26 de abril.  Flávio Rocha é evangélico, frequenta a igreja Sara Nossa Terra, e se diz defensor de princípios considerados conservadores -como a valorização da família e a adoção de uma plataforma linha-dura para a segurança pública.

O empresário também é ligado ao MBL (Movimento Brasil Livre), que organizou mobilizações pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Rocha compartilha com o grupo posições enfáticas a favor do liberalismo e da
redução da participação do Estado na economia.

“AVENTURA”

Rocha negociava sua entrada na sigla desde outubro do ano passado, quando recebeu o primeiro convite para se filiar ao PRB. Em reuniões recentes, ele demonstrou preferência em disputar o Planalto, mas deixou claro a dirigentes da sigla que não gostaria de encarar uma “aventura” caso o plano não amadurecesse. Se for candidato a presidente pelo PRB, o empresário terá direito a pouco mais de 30 segundos a cada bloco de 12min30s da propaganda eleitoral na TV
e no rádio. Ele buscará alianças com outras siglas para aumentar esse tempo ou pode levar esses segundos para uma aliança com outro candidato.

Rocha também negociou sua entrada no MDB, mas optou definitivamente pelo PRB depois que o ministro Henrique Meirelles (Fazenda) decidiu deixar o governo para tentar se candidatar a presidente pela sigla de Temer.

 

Fonte: Bocão News

Compartilhe

Copyright © Recôncavo Notícias - Jornalismo com Profissionalismo