Amargosa: Polícia Civil de conclui investigação da morte do adolescente

A Polícia Civil de Amargosa conclui a investigação do desaparecimento e morte do adolescente José Pereira dos Santos Neto, de 15 anos  e indicia três acusados. Mesmo as prisões de Nilton Chagas da Silva, 21 anos, vulgo “Paranha” e Jackson dos Santos de Assis, 19 anos, vulgo “Bravo” e com a localização do corpo do adolescente, ocorrido no dia 18 de julho de 2017, a Polícia Civil continuou as investigações, concluindo com o indiciamento de mais uma pessoa, desta feita Andressa dos Santos Peixoto, que já foi amiga da vítima.
O corpo do adolescente foi encontrado à época numa área de difícil acesso, no topo de uma serra, escondido entre galhos e enterrado numa cova, na localidade da várzea, zona rural de Amargosa. De acordo com o laudo pericial, a morte se deu por traumatismo crânio encefálico e sufocação por soterramento, o que leva a crer que a vítima ainda estava viva quando foi enterrada.
Os executores falaram com riqueza de detalhes como cometeram o crime, demonstrando sinais de psicopatia, como um sorriso no canto da boca, além da frieza comum entre criminosos desta natureza. No entanto, quando indagado acerca dos mandantes do crime, os mesmos silenciavam.
O caso ganhou repercussão e causou clamor público e, mesmo com a prisão dos executores, a Polícia Civil continuou as investigações, concluindo pela participação de Andressa dos Santos Peixoto, a qual, após ser interrogada, desapareceu da cidade, estando em local não sabido, já tendo sido decretada a sua prisão preventiva, estando a mesma na condição de foragida.
Andressa, que mantinha relacionamento amoroso com um dos executores, já nutriu forte “amizade” com a vítima, mas com a chegada dos executores começaram os desentendimentos. Algumas testemunhas relataram uma dívida que Neto havia contraído, o que teria dado início a esses desentendimentos. Andressa teria influenciado, insuflando o crime, usando do seu prestígio no submundo do crime.
O Art. 29 do CP, assim dispõe: Art. 29 – Quem, de qualquer modo, concorre para o crime incide nas penas a este cominadas, na medida de sua culpabilidade.
Os três acusados irão responder por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver.


Compartilhe

Copyright © Recôncavo Notícias - O site que tem a cara da Bahia