17 facadas: mulher é morta por marido durante sua festa de aniversário

Fonte: reprodução

O jovem Dianes Maria Silva foi assassinada pelo marido, identificado como Maycon Jhonatan, que deu 17 facadas na vítima. O crime aconteceu no último sábado (23) na cidade de Gurupi (TO). As informações são do UOL.

Os familiares e amigos de Dianes, além da filha do casal de apenas 4 anos, estavam na festa e presenciaram o crime. Ela chegou a ser levada ao hospital com vida e passou por uma cirurgia. Mas teve quatro paradas cardíacas. Na última delas, não resistiu e faleceu – no dia de seu aniversário, 24 de novembro. O homem está foragido.

Natural do Maranhão, Dianes se mudou com a família, quando ainda bebê, para o Tocantins. Filha de um pedreiro e de uma auxiliar de cozinha, a jovem começou a trabalhar como diarista na adolescência. Aos 17 anos, ela se casou e teve o primeiro filho. Já neste relacionamento, Dianes sofreu violência doméstica. 

O irmão da vítima, Antônio Gidal das Chagas Silva, 29, disse ao UOL que quando o filho do casal tinha apenas sete dias de vida, o marido chegou em casa bebado e a agrediu.

“Eu morava nos fundos da casa, escutei ele querendo bater nela e fui lá. Briguei com ele e fomos parar na delegacia. Ele foi preso e não registrou a criança. Hoje, está preso por tráfico de drogas.” 

Embora tenha passado por muitas dificuldades financeiras, a família permaneceu unida. “Meus pais nos ensinaram a ficar sempre unidos. Nós fazíamos churrasco nos aniversários e, no final do ano, fazíamos um jantar. Era aquela alegria”, diz o irmão. 

Segundo a família, Dianes era uma pessoa muito alegre e não tinha problemas com ninguém. Neste ano, deixou o trabalho como atendente de supermercado para trabalhar como tatuadora profissional. 

Pouco tempo depois da separação do primeiro marido, Dianes conheceu Maycon Jhonatan. Eles namoraram por dois anos e, no terceiro, decidiram morar juntos. O filho mais velho dela, hoje com sete anos, preferiu morar com os avós maternos. A mãe sempre o visitava e mantinha contato com ele diariamente. O relacionamento durou cerca de sete anos, entre idas e vindas. 

Durante esse tempo, o marido chegou a ser preso por tráfico de bebidas. Diante da situação, ela decidiu terminar. O homem ficou preso mais de um ano. Foi solto no ano passado e, desde então, tentava reatar. Após muita insistência, ela resolveu dar uma nova chance ao pai de sua filha. Segundo a família, Dianes havia pagado o aluguel da casa em que morava com a filha até dezembro. Depois, voltaria a morar com Maycon. 

A família conta que o homem, três anos mais novo, parecia uma boa pessoa e nunca tinha batido nela. Embora o casamento tenha sido apoiado pelos irmãos, os pais nunca concordaram com a união da filha. “Quando nós fazíamos churrasco, o Maycon não ia porque meu pai falava que os santos deles não batiam. Ele falava que algo no marido dela estava errado, mas ninguém nunca suspeitou de nada”, diz o irmão. 

Ainda assim, o irmão diz que nada indicava o que iria acontecer: “Ele nunca a tratou mal, nunca a agrediu. No dia do aniversário, eu fui lá e ela estava toda carinhosa com ele, sentada no colo dele, beijando. Ela estava toda feliz. Ninguém acreditou que ele teve coragem de fazer isso”.

 A tia concorda: “Ele era uma pessoa muito tranquila. Tanto que a gente dava força para ela voltar com ele”.

Fonte: Correio 24h

Compartilhe

Copyright © Recôncavo Notícias - Jornalismo com Profissionalismo
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com